De: Vamos pá mesa (Ver receita )



Receita do - Risotto de morcela


Embora já tenha colocado várias receitas de risotto no blog, volto a fazê-lo porque esta variante foi muito apreciada, o Mr. Fofo que vos diga. Em virtude de termos um caldo de carne à espera de ser utilizado e uma morcela quase em fim de vida, optámos por fazer este belo arroz. Comecei por ferver o caldo de carne e mantive-o ao lume (brando, depois de ferver) durante a confecção do risotto para que a temperatura se mantivesse elevada. Descasquei uma cebola pequena e dois alhos, cortei-os em pedacinhos. O Mr. Fofo encarregou-se da morcela que pré-cozinhou numa frigideira com azeite. Depois de cozinhada, foi transferida para um prato e o azeite da fritura foi aproveitado por mim. Foi lá que aloirei a cebola e o alho, até ficarem tenrinhos, juntei o arroz e deixei fritar uns 3 minutos, mexendo sempre, até o arroz ficar semi transparente. Juntei meio copo de vinho branco, deixei cozinhar até ser absorvido. Adicionei o pimento cortado em cubinhos e a primeira concha de caldo de carne. Deixei o arroz absorver o caldo todo até juntar outra concha. É por esta razão que o caldo deve estar a ferver ou muito quente, para que não haja choques de temperatura e quebras na cozedura, quando é adicionado ao arroz. Depois de absorvida a segunda concha, envolvi os cogumelos no arroz e fui adicionando caldo, concha a concha até o arroz estar cozinhado mas rijinho quanto baste. é nesta fase, em que está quase pronto, que juntei o tomate e a morcela, para que aquecessem. O tomate, só o pus no fim porque prefiro que fique quase crú, não gosto quando fica molengão e larga a casca e as sementes. E para a apresentação é muito mais bonito que mantenha a integridade. A morcela, como já estava cozida, foi basicamente aquecê-la no risotto mesmo no fim da cozedura, até para que o enchido não ficasse desfeito. Não se esqueçam do tempero. Eu não o mencionei porque o caldo de carne já estava temperado com sal, pimenta, noz-moscada e uma ou outra especiaria de que não me lembro, e não foi necessário temperar mais. Durante a confecção do risotto, mexi constantemente os ingredientes com uma colher de pau, para que não se colassem à frigideira e para que o arroz soltasse a goma, que o torna mais cremoso no fim da cozedura. Não usei manteiga nem queijo, como é habitual nos risottos porque prefiro usar azeite e tendo o caldo base bastante sabor, achei desnecessário sobrecarregar. Espero que gostem!